Arquivo postado em ‘Santa Marta’

NADANDO COM OS GOLFINHOS

Tuesday, December 14th, 2010

Nadar com golfinhos está se tornando uma atividade cada vez mais popular no mundo. Pesquisadores dizem que nadar com esses animais marinhos impulsiona o sistema imunológico de nós seres humano, ajudando assim o bem-estar físico e psicológico. Há duas maneiras para poder nadar com golfinhos, a primeira é em cativeiro num ambiente fechado e controlado por profissionais. A segunda é o nado selvagem, ir de encontro com os golfinhos em mar aberto em seu habitat natural. Foi no Aquário del Rodadero em Santa Marta na Colômbia, que eu tive o privilégio de nadar com um dos animais mais inteligentes do mundo. A experiência foi inesquecível e me proporcionou 35 minutos de relaxamento entre os golfinhos. Os sentimentos de harmonia e paz de espírito que eu senti quando estava nadando com eles, me resultaram emoções avassaladoras. O mais interessante dessa minha experiência, foi saber que no Aquário del Rodadero, também é realizado com…

crianças autistas, a “Delfinoterapia” ou terapia assistida por golfinhos. De acordo com o psicólogo clínico David Nathanson, essa terapia aquática junto com golfinhos, ajuda as crianças a estimular a aprendizagem de respostas cognitivas, físicas ou afetivas mais adequadas. A simpatia e o carinho dos animais podem auxiliar e muito, o desenvolvimento de uma criança com autismo. Pesquisadores da Flórida nos U.S.A, já vêm tentando algum tempo, descobrir porque esses animais possuem uma afinidade tão grande com nós seres humanos. Existem inúmeras perguntas sobre…

Fotos: Blog Giramundos – (Quando eu nadei com os golfinhos, a sensação que eu tinha, era de harmonia e paz de espírito)

a habilidade milagrosa dos golfinhos reconhecerem a fragilidade humana, e sua disposição para nos ajudar. Por que será que os golfinhos seguem os motores dos barcos? Que estranha química é essa entre os golfinhos e nós seres humanos? Haveria alguma ligação telepática entre a mente dos golfinhos com a nossa? Durante milhares de anos os golfinhos são respeitados em todo o mundo como criaturas muito especiais. Na Grécia, os golfinhos de Delphi eram vistos como “Santos” e ninguém podia matá-los. Quem matava um golfinho naquela época, era visto como criminoso e podia ser até condenado a pena de morte. Se vocês quiserem saber mais informações sobre o Aquário del Rodadero na Colômbia, acessem o site www.acuariorodadero.com

 Fotos: Blog Giramundos – (Nessa foto eu consegui ganhar o tão esperado beijo)

Fotos: Blog Giramundos – (Em frente a porta de entrada do Aquário el Rodadero em Santa Marta na Colômbia)

Fotos: Blog Giramundos – (Marcos Garcia alimentando o golfinho “Juliana” com pedaços de peixe)

 

Fotos: Blog Giramundos – (Marcos Garcia com a treinadora dos golfinhos)

Foto: Google – (A simpatia e o carinho dos animais podem auxiliar e muito o desenvolvimento de uma criança com autismo, essa terapia é chamada de “Delfinoterapia”)

 

Vídeo: Blog Giramundos – (Marcos Garcia nadando com dois golfinhos em um aquário na Colômbia)

Vídeo: Blog Giramundos – (Marcos Garcia tentando dar um beijo no golfinho)

Vídeo: Blog Giramundos – (Marcos Garcia nadando com dois golfinhos no Aquário del Rodadero em Santa Marta na Colômbia)

POR QUE OS JAPONESES MATAM TANTOS GOLFINHOS?

Foto: Jornal a Tarde – (Manifestantes protestam conta as embarcações japonesas que há muitos anos já vêm matando milhares de golfinhos)

Foto: Google – (O prefeito de uma cidade japonesa que realiza uma caça anual de golfinhos protestou contra a entrega do Oscar de melhor documentário a um filme que trata desse assunto. O documentário “The Cove”, ganhou o Oscar de 2010 de melhor documentário. O filme comenta sobre os pescadores de uma pequena baía em Taiji, no sul do Japão, onde mostra o sangrento abate dos golfinhos. 
Fonte: Jornal G1 – (Globo.com)

CURIOSIDADES:

Foto: Google – (Um golfinho chamado “Fuji” no Japão, sofreu uma doença misteriosa que começou a correr suas nadadeiras, para salvar a vida dele, quase toda a cauda teve que ser amputada. A cauda de um golfinho é seu motor e sem elas eles podem nadar, foi então que, engenheiros da fábrica de pneus (Bridgestone, umas das mais famosas da Fórmula 1) decidiram projetar um cauda de borracha para tentar salvar a vida dele. Depois de várias tentativas, o terceiro modelo da cauda feita de borracha com recheio de espuma deu certo, e Fuji voltou a nadar quase tão bem quanto a um golfinho normal)
Fonte: Jornal G1 – (Globo.com)